VÔLEI DE PRAIA MASCULINO

VÔLEI DE PRAIA MASCULINO

Regulamento Específico de Vôlei de Praia
CAPÍTULO I
DA COMPETIÇÃO
Art. 1º – A Competição de Voleibol será realizada de acordo com as regras oficiais da
Federação Internacional de Voleibol (FIVB) adotada pela Confederação Brasileira de Voleibol
(CBV), salvo o estabelecido neste Regulamento.
Art. 2º – O presente regulamento tem por finalidade principal, dar conhecimento aos
participantes das normas, deveres e obrigações que deverão ser cumpridas, para que a
competição de voleibol de praia ou de areia, alcance o êxito desejado.
Art. 3º – As Categorias, de acordo com o regulamento Geral, são Masculino e Feminino.
CAPÍTULO II
DAS EQUIPES
Art. 4º – Cada equipe (dupla) deverá ser composta por no máximo 03 atletas (sendo 2 titulares
e 1 reserva). Cada equipe (quarteto) deverá ser composta por no máximo 06 atletas (sendo 4
titulares e 2 reservas),
Art. 6º – Só poderão sentar no banco de reservas, atletas devidamente inscritos e
uniformizados (para o jogo) e ainda o Técnico devidamente identificado para a função.
CAPÍTULO III
DA FORMA DE DISPUTA:
Art. 7º – Os jogos de duplas e quartetos serão disputados em um único set de 18 pontos
(Exceto nas semifinais e finais que teremos 2 sets vencedores de 18 pontos, havendo empate
em 17 pontos, o set só terminará quando uma equipe alcançar uma diferença de 2 pontos e,
nesse caso, não haverá ponto limite para o término do set. Em caso de empate em sets (1×1)
será jogado um terceiro set de 15 pontos, havendo empate em 14 pontos, o set só terminará
quando uma equipe alcançar uma diferença de 2 pontos e, nesse caso, não haverá ponto limite
para o término do set.
Art. 8º – O formato da competição de duplas e quartetos será decidido no congresso técnico,
dependendo do número de inscritos e do interesse da organização da competição. No entanto
se duas equipes da mesma escola se classificar para a fase semifinal, este será um dos jogos
desta fase (Não pode haver final entre equipes da mesma associação).
DOS DESEMPATES: (dupla e quarteto)
Artº. 9º – Em caso de empate na fase classificatória, serão atribuídos os seguintes critérios:
Confronto direto (entre duas equipes);
Saldo de pontos; Pontos average; Sorteio.
Art. 10º – Ficam estabelecidas as seguintes alturas da rede: (dupla e quarteto) sendo para
masculino 2,43m e feminino 2,24m.
Art. 11º -O saque fica permitido por qualquer forma.
a) Será obrigatória a entrada de todos os atletas substitutos durante o jogo,
sendo que o número de substituição será de acordo com a quantidade mínima de atletas
substitutos que uma das equipes apresente em cada set ou jogo.
Art. 12º – Só haverá horário marcado para o primeiro jogo de cada rodada.
Art. 13º – As equipes deverão comparecer ao jogo devidamente uniformizadas, de seguinte
forma:
a) Numeradas (1 e 2, nas duplas) e (1 a 6, nos quartetos), sem ser colados com
fita adesiva;
b) Usar camisa ou camiseta e short. Caso o atleta tenha problemas de saúde
(alergia) e esteja com o atestado. Poderá jogar de Tênis e meia;
c) As camisas ou camisetas e shorts deverão ser iguais (cor), não pode o uso de
biquíni ou suquini;
d) Não pode ter números repetidos;
e) O capitão da equipe deverá se apresentar para o jogo portando a tarja de
identificação no uniforme,.
f) Os técnicos das equipes deverão se apresentar para o jogo de Camisa com
manga, Short ou bermuda, tênis e meia.
TROCA DE QUADRA: (Para a dupla e quarteto)
Art. 14º – Nos sets de 15 pontos, teremos a troca de quadra a cada soma de 5 pontos. Nos
sets de 18 pontos, teremos a troca de quadra a cada soma de 8 pontos.
SUBSTITUIÇÃO: (Para a dupla e quarteto)
Art. 15º – Para a dupla, só será permitida uma substituição por set ou jogo, e este atleta que
substituiu o titular não poderá sair mais no set, a não ser por lesão (substituição excepcional),
e o atleta que saiu não poderá retornar mais no set, a não ser por (substituição excepcional);
I – Para o quarteto, só será permitida duas substituições por set ou jogo, e o atleta que entrou
não pode ser mais substituído no set, a não ser por substituição excepcional, e o atleta que
saiu não poderá retornar mais no set, a não ser por substituição excepcional e depois de
esgotada as substituições regulamentares (normais).
TEMPO DE DESCANSO E TEMPO TÉCNICO: (Para a dupla e quarteto)
Art. 16º – Cada equipe poderá solicitar um tempo de descanso de 30(trinta) segundos por set
e não haverá tempo técnico na 2ª troca.
BLOQUEIO
Art. 17º – O contato do bloqueio será considerado o primeiro toque da equipe, no caso das
Duplas e, para o caso da equipe por Quarteto, o contato do bloqueio não será considerado
toque da equipe.
Art. 18º – ATAQUE: (Dupla e Quarteto)- O jogador não pode realizar uma ação de ataque
(largada) com a mão aberta e dedos afastados ou seja, não pode usar as digitais para efetuar
a largada.
Art. 19º – SAQUE: (dupla e quarteto)- O atleta só poderá executar uma tentativa de saque de
5 segundos.
Art. 20º – INVASÃO POR SOB A REDE: (dupla e quarteto)- Só será considerada invasão
(interferência) se o atleta interferir na ação do adversário (tocando-o ou não).
Art. 21º – GOLPE DE ATAQUE DE TOQUE: (dupla)- O toque em direção à quadra adversária
precisa ser perpendicular à linha dos ombros, tanto para frente quanto para trás.
(Quarteto)- O toque em direção à quadra adversária não precisa ser perpendicular à linha dos
ombros, tanto para frente quanto para trás.
Art. 22º – PRIMEIRA BOLA QUE VEM DA QUADRA ADVERSÁRIA E O LEVANTAMENTO
DE TOQUE: (dupla e quarteto)- A ação terá que ser perfeita, com exceção da 1ª bola que
vem de ataque violento, onde pode haver uma pequena retenção ou dois toques, ação de
puro reflexo.
Art. 23º – AQUECIMENTO: (dupla e quarteto)- Cada equipe deverá aquecer antes do seu
jogo e fora da quadra, mas poderá dispor de 2 minutos de aquecimento na quadra (1 minuto
de rede e 1 minuto de saque) na hora do seu jogo.
Art. 24º – DISCIPLINA: (dupla e quarteto)- Atleta, técnico ou outro membro da equipe
expulso, será automaticamente suspenso por um jogo. Atleta e técnico ou outro membro da
equipe desqualificado, será eliminado da competição.
CAPÍTULO IV
DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
Art. 25º – No congresso técnico poderão ser dirimidas quaisquer questões e/ou propostas a
respeito da referida modalidade, de acordo com a coordenação da mesma e a organização do
evento, baseados nos regimentos das Federação e Confederação Nacional e Federação
Internacional, com propósitos de suplementação.
Art. 26º – Este regulamento revoga qualquer decisão anterior e em especial as normas que
contrariem as aqui contidas.
Art. 27º – Os casos omissos a este regulamento serão resolvidos pela Comissão de
Organização dos VI Jogos Nacionais da Magistratura.

GALERIA DE FOTOS